Feira do Livro

Decorre até ao próximo dia 14 de dezembro, a Feira do Livro da EBS de Canelas, na biblioteca escolar, podendo ser visitada entre as 8:15 e as 17:30 horas.

Convidamos toda a comunidade educativa a visitar a nossa feira, onde poderá encontrar livros com desconto e a prenda ideal para oferta neste Natal.

Boas leituras!

Sessão literária com a escritora Cristina Carvalho

É já no próximo dia 26, segunda-feira, que vamos receber na nossa escola a escritora Cristina Carvalho, autora da obra “O gato de Uppsala”.

Cristina Carvalho nasceu em Lisboa, a 10 de novembro de 1949 e é filha da escritora Natália Nunes e do professor e poeta Rómulo de Carvalho, António Gedeão. Alguns dos seus romances estão integrados no Plano Nacional de Leitura. Com a obra “O Olhar e a Alma, romance de Modigliani”, obteve o Prémio SPA/RTP 2016.

Durante a sua atividade profissional, contactou com milhares de pessoas e visitou inúmeros países sendo a Escandinávia e o Oeste português as regiões que mais ama e que mais influência exercem sobre a sua personalidade e a sua escrita.
Publicou nomeadamente: Até já não é adeus, Momentos misericordiosos, Ana de Londres, Estranhos casos de amor, O gato de Uppsala e Nocturno – O romance de Chopin. Em 2011, a Sextante publicou também Lusco-fusco.
O seu romance O Olhar e a Alma venceu o Prémio Autores 2016 para o Melhor Livro de Ficção Narrativa. Este mês publicou o romance biográfico “A Saga de Selma Lagerlöf” e, sobre o mesmo, afirma que “foi escrito em golfadas, em horas imprecisas do dia ou da noite; não obedeceu a nenhuma rotina disciplinada. Como em todos os actos de paixão, fui sobrevivendo em equilíbrios improváveis. Conheci regiões que jamais imaginei conhecer, reconheci a vida desta pessoa, imaginei-a com a possível intimidade. Julguei, muitas vezes, ouvi-la. O conhecimento dessa vida foi como o silvo das auroras boreais ou como o zurzir do relâmpago na noite profunda.»

A biblioteca agradece aos alunos e professores a sua prestimosa colaboração e todo o trabalho dedicado e criativo na preparação da visita da escritora.

 

Projeto eTwinning desenvolvido com a BE galardoado com “Prémio Nacional eTwinning 2018”

O projeto “Da minha casa para o mundo” desenvolvido pelos alunos da turma do 5º A no ano letivo transato, no âmbito do projeto “eTwinning”, foi distinguido com o “Prémio Nacional eTwinning 2018”, vencendo na categoria do 2º Ciclo.

O projeto assentou na perspetivação da casa como um espaço que reflete a cultura dos seus habitantes, as suas tradições e história de um povo. Foi nosso intuito potenciar um vínculo afetivo ao edifício no qual habita a família, a “casa”, promovendo um misto de conhecimento do lugar em que vivemos e de descoberta da história familiar que afeta  esse espaço. A escola foi igualmente encarada como uma segunda casa, espaço de formação, afetos, inclusão e cidadania. Outro dos seus objetivos foi partilhar elementos comuns e distintos, tradicionais das nossas casas típicas de Espanha e Portugal, envolvendo a escola parceira de Lugo, Galiza.

O projeto teve igualmente uma forte vertente de integração curricular, tendo participado a disciplina de Inglês (Paula Aires), História e Geografia de Portugal (Augusto Oliveira), Educação Tecnológica (Paula Gomes), tendo grande parte do trabalho sido realizado pelos alunos na biblioteca escolar, contado com o apoio do professor Manuel João Pinto. Desenvolveu-se ainda uma articulação com os alunos do projeto “Sim, somos capazes”, sob a orientação do professor Luís Baião, visando a promoção de uma  escola ainda mais inclusiva.

Este projeto fora já em setembro galardoado pela Agência Nacional com o “Prémio Selo Nacional” e o “Prémio Selo Europeu”, destinado a projetos europeus colaborativos. Os Selos de Qualidade eTwinning são concedidos a escolas com excelentes projetos eTwinning, o que significa que o projeto atingiu um determinado padrão a nível nacional e europeu em inovação pedagógica, integração curricular, comunicação e colaboração entre escolas parceiras e utilização das tecnologias.

A cerimónia de entrega do “Prémio Nacional eTwinning 2018” decorrerá em Lisboa, no dia 23 de novembro de 2018, entre as 11h e as 17 horas e 30 minutos, onde estará representada a nossa escola com cinco alunos, os quais serão responsáveis pela mostra de um pequeno vídeo com algumas das atividades desenvolvidas e pela apresentação do projeto.

Um agradecimento a todos que colaboraram e participaram no projeto, não esquecendo os pais e encarregados de educação que, ao longo do mesmo, deram sempre o suporte necessário.

O coordenador do projeto

Augusto Oliveira

Reconto de uma das histórias que Marlene Aires entrelaçou … no dia 22 de outubro na Biblioteca

Era uma vez uma menina que tinha uma mãe lavadeira. Um dia ela foi com a mãe, ao rio Tejo, lavar roupa.

Nesse dia estava muito calor e a menina decidiu ir nadar num pequeno charco. Andou, andou e andou e foi-se afastando, até que chegou finalmente. Estava pronta para mergulhar, mas lembrou-se que estava a usar uns brincos de ouro que o pai lhe tinha dado e colocou-os em cima de uma pedra. Nadou, pulou, cantou, estava muito feliz, mas um homem que andava por ali, estava a observar tudo o que ela fazia e roubou-lhe os brincos. Era tarde quando se apercebeu e foi a correr ter com a mãe. Esqueceu-se dos brincos. A meio do caminho, lembrou-se deles, mas quando regressou já não estavam lá. O homem foi ter com ela e perguntou-lhe se estava à procura de uns brincos de ouro. A menina respondeu que sim, pois tinha sido o seu pai a dar-lhos e ela não os queria perder. O senhor terminou dizendo que tinha pegado neles e estavam no fundo de um surrão e se ela os quisesse tinha de lá ir buscá-los. Sem pensar duas vezes entrou dentro do surrão e o senhor fechou-o e foi para bem longe. Já era muito tarde e a mãe dela estava muito preocupada. Procurou, procurou e procurou, mas não havia sinais dela.

O homem passou a andar de aldeia em aldeia a apresentar “o primeiro surrão que canta”. Ele ameaçava bater-lhe se ele não cantasse. Enquanto isso, a mãe da menina não se cansava de a procurar. Finalmente, o senhor chegou à aldeia da menina e voltou a apresentar “o primeiro surrão que canta”. A senhora decidiu ir ver esse pequeno espetáculo. O homem voltou a ameaçar o surrão e novamente saiu uma voz lá de dentro a cantar. A mãe conseguiu identificar a voz da filha. Então, ela teve uma ideia. Quando acabou foi perguntar ao senhor se queria ir comer uma sopa na sua casa. O homem, como andava esfomeado, aceitou de imediato. Mal chegaram, a mulher disse para ele colocar as suas coisas num canto e sentar-se na sala. De repente, a senhora lembrou-se que lhe faltavam as couves e as batatas, mas o armazém era muito longe. O homem ofereceu-se logo para ir comprar. Quando ele já estava a uma distância considerável foi até ao surrão e tirou a sua filha. Deu-lhe um banho, vestiu-a com roupas lavadas e decidiu encher com um monte de dejetos de vaca e galinha o surrão. O senhor chegou, a mulher fez a sopa, ele comeu-a e ainda teve o descaramento de pedir para dormir em casa dela. A senhora não deixou, pois era uma mulher viúva e toda a gente ia começar a comentar. O homem foi-se embora.

Quando chegou na aldeia seguinte, ameaçou o surrão de novo, mas ele não cantou. Voltou a ameaçar e nada, até que ele se fartou e começou a bater-lhe. O surrão rasgou-se, espalhando os detritos por toda a gente. Correram atrás dele, mas nunca o conseguiram apanhar.

Beatriz Duro, Lara Oliveira e Catarina Teixeira, 6ºC.

Dia da Biblioteca Escolar assinalado com sessões de conto

A biblioteca escolar assinalou hoje o Dia da Biblioteca Escolar com quatro sessões de contos dinamizadas pela técnica da Biblioteca Municipal de Seia, Mariana Aires, para 127 alunos da escola. Esta iniciativa resulta da colaboração requerida à diretora da Biblioteca Municipal de Seia, Dr.ª Teresa Rua, presente nesta atividade, que mereceu a aprovação da autarquia de Seia. Continuar a ler