Final do concurso de Gramática

No dia 9 de maio, na biblioteca, decorreu a final do concurso de gramática para todas as turmas de 5º e 6º anos. Foram selecionados três alunos por turma que obtiveram os melhores resultados, nos testes específicos de gramática, ao longo dos dois primeiros períodos. Todos os participantes demonstraram saber e empenho, mas só dois poderiam vencer a final deste concurso. Assim, os alunos vencedores foram os seguintes:

5º ano: David Vieira, nº9, 5ºE

6º ano: Gabriela Manso, nº12, 6ºF

 

Parabéns a todos!

English quiz

Todos os anos, no dia do Agrupamento, é realizado um quizde inglês. Esse mesmo quiztem diversos níveis. Um para o 7.º ano, outro para o 8.º ano e outro para o 9.º ano. A atividade não é obrigatória, mas, por norma, todas as turmas participam, com o incentivo do professor de cada turma. A seleção é normalmente feita de acordo com o desempenho dos alunos na disciplina de inglês. Cada equipa é composta por três elementos da mesma turma.

 O questionário é constituído por perguntas aleatórias relacionadas com a matéria dada anteriormente em sala de aula. Habitualmente as perguntas são sobre um determinado tema, que os alunos desconhecem até ao dia do quiz. O vencedor do concurso é o grupo de alunos que responder corretamente ao maior número de questões. Este ano, o 1.º lugar recebeu uns auscultadores; o 2.º uma agenda e o 3.º lugar um livro. Como recompensa pela participação, todos receberam rebuçados.

Na opinião dos participantes, este tipo de atividade é fundamental para treinar e aperfeiçoar a língua inglesa, e também para testar o que é dado em sala de aula.

Texto em Inglês:

The English contest takes place every year on “Dia do Agrupamento”. Students of the 7th, 8th and 9th forms participate In the contest, which has different versions. It isn’t mandatory to participate but, usually, the teacher encourages the participation. Each team includes three students of the same class.

 The purpose of the contest is to answer questions asked randomly. The questions have a chosen theme but the students don´t know it in advance. The winner is the one who answers correctly the greatest number of questions. This year, the first place was awarded a pair of headphones, the second a diary and the third a booklet, and as a reward for our participation, everyone received sweets.

 In the opinion of the quiz participants, the English contest is very important to practise our English skills and to test what we have learned in class.

                                                                                      Ana Oliveira e Catarina Teixeira, 8.º E

Abaixo a cidade!

A partir do convite do diretor do jornal da escola, a turma decidiu escrever um artigo sobre as desvantagens da vida na cidade.

Abaixo a cidade? Porquê?

 Vários motivos nos levam a concluir que a cidade nos traz muitos perigos. Isto obriga-nos a ter muita atenção, para que não sejamos prejudicados por todos os problemas que a cidade tem.

 A imensidão de fábricas traz muita poluição atmosférica, o que leva à diminuição da camada de ozono que nos protege dos raios ultravioleta. O ar torna-se irrespirável, dificultando o bem-estar das pessoas.

Temos assistido, diariamente, às notícias da comunicação social que os assaltos são cada vez mais e mais violentos. Com isto a vida na cidade torna-se mais perigosa.

O aumento do tráfego automóvel tem levado a mais acidentes, feridos e mortos. A vida na cidade vai-se tornando cada vez mais difícil de conciliar com a saúde e o equilíbrio que deve existir no dia-a-dia.

Na nossa opinião, as desvantagens são tantas e tão graves que nos levam a partir para o campo, onde a vida é mais saudável. Fica a esperança de conseguirmos melhorar a vida na cidade através da reciclagem, do uso constante da bicicleta e a diminuição do desemprego.

 

                                                                                                                                                   Texto coletivo do 5ºF

COMO VIVER NA CIDADE

O Diretor do jornal da nossa escola convidou-nos para escrevermos um artigo sobre as vantagens e desvantagens de vivermos na cidade.

Na nossa opinião, viver na cidade tem vantagens e desvantagens. Mas consideramos que é sempre melhor viver na cidade do que na aldeia.                   

Por um lado, haver mais população na zona urbana permite que tenhamos variadas lojas de diferentes marcas e ao mesmo tempo podemos conhecer mais pessoas. O acesso a muitos serviços é facilitado pela existência de transportes públicos.

Por outro lado, a cidade apresenta um nível de poluição muito maior do que nas zonas rurais. A poluição atmosférica causada pelas fábricas, a poluição sonora devido à quantidade de trânsito existente e a poluição marítima que prejudica todos seres vivos.                                                                                                             Finalmente, aconselhamos a todos aqueles que gostam de viver na cidade, como nós, a fazerem um esforço para diminuírem a utilização do carro, a reciclarem os materiais e a contribuírem para a criação de um bom ambiente.                                                                  

Vamos conseguir!

                                                                                 Texto coletivo do 5ºE

O pior da cidade

O diretor do jornal da nossa escola desafiou-nos a escrever um artigo sobre as vantagens e desvantagens sobre viver na cidade.

Na nossa opinião, a cidade tem vários aspetos negativos que prejudicam quem nela vive. 

Em primeiro lugar, a poluição que existe é muito grande, o ar é mais carregado e por isso tem muito dióxido de carbono.

Há também muitos assaltos e muita violência que assusta as pessoas no seu dia-a-dia.

A quantidade de trânsito dificulta o caminho para o trabalho e para a escola, criando muito ruído.

 Gostavas de viver numa cidade depois de conheceres todas estas desvantagens?

A vida na cidade tornar-se-á mais saudável se TODOS se empenharem em reciclar os materiais, em utilizar mais os transportes públicos e se tornarem melhores cidadãos.

Texto coletivo do 5º B

Visita de estudo a Berlim

Berlim (e toda a Alemanha, aliás) passou por diversas mudanças geopolíticas até se tornar no grande centro cultural que é hoje e que tivemos o privilégio de visitar.

Após uma viagem cansativa e repleta de expectativas, deparamo-nos com um frio mais suportável do que era expectado e com uma capital incrivelmente rica, diversa e bela. Toda a magia de um local novo, principalmente um com a magnificência histórica berlinense, tornava os despertadores das 6h30 da manhã um pouco mais toleráveis.

Transportados pelo metro, pelo comboio e pelos nossos próprios passos, parecíamos estar a atravessar épocas em vez de locais. Desde Bebelplatz (praça onde aconteceu, em 1933, a queima de mais de 2000  livros que iam contra os ideais nazis e onde se encontra a universidade na qual Albert Einstein e Karl Marx estudaram) ao Sony Center (um moderno edifício com espantosas luzes,  restaurantes, cinemas…), Berlim parecia não querer parar de surpreender com o seu esplendor contrastante.

De todos os locais visitados, destacaram-se os com maior carga histórica, e por isso mais educativos. Sobressaiu o campo de concentração de Sachsenhausen, talvez não pelas melhores razões. Um campo de concentração é, realmente, algo cuja imensidão e peso não se reconhecem até serem presenciados, na medida em que a linha cronológica nos permite. Para além das interessantes exposições, Sachsenhausen carrega também uma mensagem imensamente forte nas suas paredes e até no ar que lá se respira. Também o museu Neues ampliou o nosso conhecimento, por sua vez, quanto à história pré-histórica, egípcia e antiga. Eram quatro andares de exposições incríveis que mereciam um dia inteiro de visita, que, infelizmente, foi reduzida a umas meras horas.

 Esta visita foi, então, um mero ‘’abrir de apetite’’ de tudo aquilo que a capital alemã tem para oferecer, monumental, paisagística e gastronomicamente. Cada passo dado naquela cidade foi um passo em direção à vontade de lá voltar e de aprofundar a nossa experiência, mais do que turística, educativa.

Laura Teixeira – 12º C 

Aluna do 6º ano recebe menção honrosa no Concurso Nacional de Leitura

«No passado dia 20 de abril, as  alunas Marta Filipa Macedo do 6.º E e  Sara Vieira do 9.º A representaram  o  Agrupamento de Escolas de Canelas  no Concurso Nacional de Leitura.

Pela primeira vez, uma aluna nossa  obteve nesta fase concelhia do concurso   no uma  Menção Honrosa, o que muito nos apraz.  

À Marta, cujo desempenho distinguiu a escola e o seu corpo docente, os  nossos sinceros  parabéns. 

Que o seu desempenho seja fonte de inspiração para outros alunos  e motivo de júbilo para toda a comunidade escolar. »