Quem Quer Ser Bilionário? Danny Boyle

Os alunos do 9ºC visionaram o filme “Quem Quer Ser Bilionário” de Danny Boyle e, num trabalho interdisciplinar, escreveram uma apreciação crítica.

 

         O filme “Quem quer ser bilionário” do realizador Danny Boyle, produzido em 2008, tem como principal trama o brilhante desempenho de um jovem, Jamal Malik, personagem principal, no famoso concurso televisivo, “Quem Quer Ser Bilionário?”. Jamal consegue chegar à questão final e vence surpreendentemente o concurso.

        Cada questão colocada pelo apresentador desperta a memória de Jamal… e as suas respostas são fruto da sua experiência de vida e das memórias da sua infância e juventude. Assim, em torno da ação central, o filme mergulha na Índia profunda e apresenta diversos temas que mostram o desrespeito pelos Direitos Humanos.

     Na verdade, esta película cinematográfica mostra-nos graves problemas sociais. Relativamente ao sistema educativo, por exemplo, para além de muitas crianças não poderem ir à escola, as condições físicas dos estabelecimentos escolares são deploráveis. Muitas casas são, aliás, muito rudimentares e não têm saneamento básico.

        Contudo, um dos temas que mais choca o espetador é a exploração infantil. Com efeito, homens sem escrúpulos aproveitam-se da vulnerabilidade de crianças órfãs para as obrigar a mendigar. A maldade é de tal modo acentuada que estes homens chegam a cegar propositadamente crianças para, assim, apelar à sensibilidade das pessoas e conseguir obter mais dinheiro.

      Este filme leva-nos também a conhecer o desrespeito pelas mulheres, dado que é abordado o tema da exploração sexual. Esta questão é bem notória porque a amada de Jamal Malik é precisamente alvo dessa exploração.

    A corrupção está presente em muitas situações ao longo do filme e começa precisamente na postura do apresentador do concurso. Só com muita resiliência e coragem é que Jamal consegue enfrentar quer o apresentador quer a polícia.

       Por fim, salientamos que esta obra cinematográfica é uma janela aberta à reflexão sobre uma sociedade com graves problemas. É também uma lição de perseverança e de resiliência. Apesar do contexto social dramático de Jamal, ele consegue vencer!

 

 

 

      

Opinião sobre o projeto “10 minutos a ler”

Na minha opinião, o Projeto “10 minutos a ler” foi uma ideia de génios pois, atualmente, as crianças da nossa idade ficam agarradas aos telemóveis e este projeto mostra-lhes uma outra opção de entretenimento, a leitura. Desta forma poderão largar o vício das tecnologias e abrir uma porta para a leitura.

 

Resposta do aluno João Luís, 5.º I 

A CONSTRUÇÃO DE UM CADERNO DIÁRIO

   A turma do 5º E refletiu sobre a importância do caderno diário na vida escolar e concluiu que este objeto em branco está sempre pronto a ser utilizado.

   Cada um de nós trata-o de diferentes maneiras. Uns adoram vê-lo bonito, atrativo e elegante. Outros não lhe concedem o valor que ele realmente merece.

    Sendo o caderno diário, algo onde registamos os aspetos mais importantes das matérias, é fundamental que o tratemos bem e que o utilizemos diariamente. Só assim o caderno diário, estojo e o livro serão, em conjunto, devidamente utilizados e nos poderão dar os conhecimentos que precisamos.

   A experiência da turma não é a melhor, visto que as questões feitas e os trabalhos realizados, nem sempre, correspondem aos conhecimentos que o caderno diário contém.

   A partir deste momento, vamos fazer melhor.

 

Texto coletivo 5º E

 

O cão-guia

   Olá, o meu nome é Spike e eu sou um cão-guia. Desde cachorro que ando a treinar para ajudar os invisuais a terem uma vida mais segura.

   Num dia de Inverno, eu e o meu dono fomos passear pelos Aliados para comprar mais biscoitos e conhecer o novo parque. Quando estávamos a ir para o parque, um homem de roupa preta estava a aproximar-se de mim e, de repente, pegou em mim, enfiou-me num saco e correu para uma carrinha cheia de sacos com joias, raridades, ouro, dinheiro… O meu dono ficou muito aflito porque ele não podia fazer nada e pediu ajuda a uma pessoa. Mas essa pessoa não o conseguiu ajudar, por isso, continuou a pedir ajuda a todos os que passavam naquela rua. Até que alguém o levou à esquadra da polícia dos Aliados para denunciar o crime. Depois de algumas horas, voltei para o meu dono e o ladrão foi preso.

   O meu dono perguntou ao polícia como conseguiu encontrar-me e o polícia disse se eu não tivesse um chip, podia não estar vivo.

Beatriz, 5ºD

Descrição de um jardim

   Certo dia, fui passear por um jardim que era… único e espantoso. Tinha tanta variedade de plantas, árvores e lagos maravilhosos … (para as pessoas que estiverem a ler este texto, seja quem for, peço por favor: vão ver este jardim).

   Neste lindo jardim, mesmo à entrada, havia seis grandes tílias, três de cada lado do portão, e nessas seis tílias também existiam seis lindos ninhos com passarinhos… Já tinha grandes expectativas em relação àquele jardim, por isso segui em frente, onde encontrei um campo de pequenas e delicadas papoilas – quase desmaiei ao vê-las, eram tão vermelhas e perfumadas… Uau! Virei à esquerda, depois à direita, outra vez à direita, em seguida virei de novo à esquerda, até que me perdi. Mas não me arrependo de ter virado em tantas direções, porque um ou dois minutos mais tarde encontrei um lago brilhante e luminoso que estava rodeado de flores, era simplesmente incrível! O mesmo estava cheio de peixes de todas as cores…, vermelhos, rosas e laranjas. Depois de ter vislumbrado tal lago decidi continuar em frente. Descobri um corredor com inúmeras árvores, como bétulas, mimosas, pinheiros, pessegueiros, entre outras, mas também encontrei a saída e percebi que tinha chegado ao fim da minha visita.

   Quando saí, começaram a chover frutos e sementes: dos pinheiros caíam pinhas, dos pessegueiros pêssegos… apanhei-os a todos e apenas disse: “Que lindo jardim!”

    Um dia destes, irei voltar a este espaço lindo e calmo!

Lucas, 5ºD