Mobilidade Erasmus – Projeto da Biblioteca Escolar

This slideshow requires JavaScript.

Teve lugar de 6 a 10 de dezembro uma mobilidade Erasmus enquadrada no projeto da biblioteca escolar intitulado “School libraries promoting readers, values, literacies, skills and inclusion”, que teve como objetivo principal o intercâmbio e a partilha de boas práticas, reunindo quinze alunos e dez professores de Itália, Grécia, Polónia e Portugal.

Ao longo de toda a semana decorreram atividades de caráter educativo e cultural, centradas na leitura, na dinâmica das bibliotecas escolares e na temática do holocausto, tópico que denota a necessidade da educação permanente para os direitos humanos. Logo no primeiro dia, os alunos e professores participaram num evento de receção promovido pela equipa da biblioteca escolar e que contou com a presença do Diretor do Agrupamento, o qual proferiu palavras pertinentes sobre o Erasmus e a sua importância para a educação e na formação pessoal e cívica dos nossos alunos.

Os alunos da equipa Erasmus portuguesa, Íris Ferreira, Sofia Barbosa e Lucas Silva, do 9º A, deram as boas-vindas aos nossos convidados e apresentaram, num inglês perfeito, todos os momentos especiais da referida cerimónia.

Seguidamente, os alunos do Clube de Música da docente Paula Campos e os respetivos discentes do 5º B, em conjunto, cantaram “Welcome” – uma canção de boas-vindas e “Menina Estás à Janela” – canção tradicional portuguesa, popularizada por Vitorino Salomé. Logo de seguida, de modo a lembrar a importância da União Europeia e do programa Erasmus +, o professor Carlos Silva ao trompete, acompanhado pela docente Paula Campos ao piano, tocaram a peça musical “Ode à Alegria” – tema do 4º andamento da 9ª sinfonia de Beethoven (Hino oficial da União Europeia). Foram momentos de especial emoção e que reforçaram os laços de amizade entre os parceiros europeus presentes.

Ainda na referida cerimónia de acolhimento, os alunos do Clube de Línguas da nossa escola, coordenado pela professora Ana Paula Borges, e liderado pelos alunos Alice Baião, Cristina Matos, Cátia Santos, Henrique Astorga e Rui Carvalho, dinamizaram a atividade intitulada “As faces da esperança”. Na sua aprentação/dramatização mostraram duas faces da esperança no mundo por intermédio de dois ilustres portugueses: Aristides de Sousa Mendes e Fernando Pessoa, ambos representados em cena por dois alunos, dramatizando com enorme mestria essas grandes figuras portuguesas.

Ainda no decurso da mesma manhã, os alunos realizaram um “Kahoot”, elaborado em modo colaborativo pelos quatro países do projeto, sobre o livro “O rapaz do pijama às riscas”, que deu nome a esta mobilidade de Portugal, já que cada encontro entre alunos e professores obedece, conforme estipulado no nosso projeto Erasmus, à leitura e preparação de um dos livros selecionados sobre o tema do holocausto (“O Diário de Anne Frank”, “Os meninos que enganavam os nazis” e “O Atelier de sonhos”). Os alunos do Clube de Inglês proporcionaram ainda um “bingo humano”, atividade que se mostrou importante para quebrar o gelo entre os alunos e criar uma boa atmosfera.

Já da parte da tarde, as docentes Rosário Sá e Alice Loureiro ofereceram um workshop de azulejaria portuguesa. Esta atividade teve como intuito apresentar aos alunos e docentes estrangeiros a riqueza do património português, no caso em particular, o azulejo. Todos puderam ilustrar um ou mais azulejos, com a orientação e mestria das docentes portuguesas, seguindo algumas propostas criativas ou dando asas à sua imaginação. Após passagem posterior pela mufla, foram mais tarde entregues aos alunos e docentes os respetivos azulejos por si produzidos, evidenciando enorme contentamento com o produto final produzido.

Na terça-feira, o dia foi passado na cidade do Porto, em visitas a museus. Da parte da manhã, no edifício da Alfândega do Porto, o grupo Erasmus assistiu a dois eventos, nomeadamente, “Fabulous Christmas circus” e “Porto Legends”, neste último tiveram a oportunidade de conhecer, por via de um espetáculo virtual imersivo, a cultura e história da cidade Invicta.

Após uma visita guiada pela Boavista e a sua maior avenida, pese embora o mau tempo que se fez sentir, o grupo teve oportunidade de passar pela faixa litoral junto ao Castelo do Queijo e por toda a Foz, regressando ao local de partida. Já aí, da parte da tarde, os alunos e professores visitaram o Museu das Descobertas, conhecendo com detalhe os descobrimentos e a expansão portuguesa. A visita revelou-se de enorme agrado para todos e teve momentos únicos que ficarão para sempre na memória.

A quarta-feira, dia 8, feriado nacional, foi um dia em que os alunos estrangeiros passaram o dia com as famílias de acolhimento. Cada família definiu livremente o programa para esse dia, com visitas pelo Porto e Gaia, constando-se que a experiência gastronómica da francesinha foi deveras comum.

Na quinta-feira, dia 9, o grupo deslocou-se a Guimarães, acompanhado pela guia profissional Marta Villares que nos proporcionou uma visita detalhada e enriquecedora pelos monumentos e ruas desta cidade património mundial da Unesco. Graças à colaboração da docente Ana Cristina Ribeiro, que nos disponibilizou vestuário utilizado no Canelas Medieval, o grupo foi vestido a rigor da época medieval para as visitas ao Castelo, Igreja e Paço Duque de Bragança, aqui com a participação num workshop de dança muito divertido, requerido pela escola.

Da parte da tarde, visitou-se o Museu Alberto Sampaio e realizamos seguidamente, divididos em quatro grupos, o peddy papper “Guimarães historical center”, atividade de enorme regozijo para os alunos e professores participantes. Esta atividade acrescentou um maior conhecimento sobre a histórica e monumental cidade de Guimarães.

Na sexta-feira, último dia de atividades, o grupo passou o dia na escola, os docentes voltando aos trabalhos inerentes ao projeto, definindo conjuntamente as tarefas e programação das atividades pedagógicas até maio, data da próxima mobilidade em Itália.

O dia abriu para os alunos com um workshop de ilustração dinamizado pela docente Márcia Moreira e que permitiu aos alunos ilustrar um painel dedicado ao livro “O rapaz do pijama às riscas”. Os alunos participaram no fórum de discussão do eTwinning, intitulado “Book versus movie”.

Mais tarde, o grupo teve oportunidade de visitar o bloco C3 e aí assistir à atuação da “Banda (ainda) sem nome”, sempre cativante e que maravilhou os nossos parceiros estrangeiros. Tiveram ainda oportunidade de conhecer em detalhe o projeto “Sim, somos capazes”, através de uma breve apresentação por parte do seu responsável, o professor Luís Baião.

Os docentes tiveram ainda mais uma experiência memorável, desta vez de caráter gastronómico, participando num workshop de culinária, dinamizado pelos docentes Liliana Soares e José Cruz, acompanhados pelos inexcedíveis alunos do curso profissional de Restauração e Bar. Apresentaram a receita do prato “Bacalhau à Brás” ao grupo de docentes e acompanharam-no na confeção do mesmo no decurso do workshop. Este viria a ser, aliás, o prato a ser servido para o almoço do grupo e que foi do agrado de todos. Um momento cultural de enorme descontração, entusiamo e convívio.

O dia ficaria encerrado com as tarefas programadas para a equipa de docentes e com a conclusão do painel de ilustração elaborado pelos alunos, com respetiva afixação no miniauditório da biblioteca escolar.

O dia de sábado, data de partida de todas os parceiros para os respetivos países, mostrou-se muito emotivo, pois ao longo da semana, como facilmente se percebeu, foram criados fortes laços de amizade entre alunos portugueses e estrangeiros e entre as respetivas famílias. Prendas, convites para visitas ao estrangeiro e promessas de amizade para o resto da vida marcaram este dia de despedida e encerramento da mobilidade.

O Erasmus é mais do que uma viagem: é cultura, intercâmbio, aprendizagem e amizade!  Como diz Pessoa, tudo vale a pena quando a alma não é pequena. E neste intercâmbio prezaram-se os valores fundamentais da condição e humana. Podemos dizer que entramos no intercâmbio e saímos dele diferentes e melhores.

Um agradecimento especial a todos os nossos colaboradores – que foram muitos e de modo incondicional – que deram o seu suporte para o êxito desta mobilidade, permitindo que esta tenha sido um momento único, inesquecível e marcante para todos que nela participaram.

Muito obrigado!

Augusto Oliveira

Coordenador do Projeto Erasmus KA229 “School libraries promoting readers, values, literacies, skills and inclusion”

Escola recebe de novo a distinção “Escola eTwinning”

O Agrupamento de Escolas de Canelas obteve a distinção “Escola eTwinning”, sendo um dos 108 agrupamentos nacionais a receber esse reconhecimento, num total de mil e duzentas e dez escolas europeias distinguidas em 2021.

Esta distinção é feita em resultado do agrupamento estar a desenvolver projetos “eTwinning” há́ pelo menos dois anos; ter um desses projetos obtido o “Selo Nacional eTwinning”; ter nesse período um grupo de docentes a dinamizar projetos e estar a desenvolver uma política digital e de eSafety.

Este ano o nosso agrupamento viu distinguido um projeto eTwinning com o Selo de Qualidade eTwinning, atribuído ao projeto eTwinning “Robotic Coding”, coordenado pela professora Patrícia Carvalhais.

Este projeto foi desenvolvido no âmbito do Clube de Programação e Robótica, no ano letivo 20/21, em que as sessões foram exclusivamente online, contou com a participação dos diversos alunos que frequentaram o clube e envolveu várias escolas de vários países: Portugal, Turquia (país fundador) e Bósnia-Herzegovina.

O nosso agrupamento irá com a distinção Escola eTwinning obter uma maior visibilidade a nível europeu, integrando uma rede europeia de escolas eTwinning, o reconhecimento como líder nas áreas de práticas digitais e eSafety, em abordagens inovadoras e criativas à pedagogia e na promoção de práticas de ensino colaborativas com o pessoal docente e alunos.

A referida certificação legítima a nossa escola a ter a possibilidade de exibir o Selo de Escola eTwinning em todos os materiais de promoção e informação, beneficiando-a nas candidaturas ao projeto Erasmus, já que proporciona pontuação adicional, bem como a valorização da escola no acesso a candidaturas e projetos “eTwinning”.

 

This slideshow requires JavaScript.

Biblioteca evoca José Saramago

A biblioteca está a evocar o escritor José Saramago com algumas iniciativas: uma atividade direcionada para os alunos do 4º ano, uma exposição bibliográfica na biblioteca e a disponibilização ao público de um conjunto de materiais alusivos ao escritor.

A professora bibliotecária Paula Moreira está já dinamizar uma atividade com as turmas do 4º ano do apara assinalar o centenário de nascimento de José Saramago que começou a decorrer recentemente (16/11/2021 a 16/11/2022). A atividade consiste numa breve abordagem da vida e obra do escritor, uma sessão de conto da obra A Maior Flor do Mundo, seguida de uma atividade digital e gráfica sobre sobre a história.

This slideshow requires JavaScript.

Mobilidade Erasmus em Toulouse

This slideshow requires JavaScript.

Foram apresentadas pela coordenadora Valérie Lignè as atividades iniciadas no ano anterior com o seu Clube de Leitura, que se realiza uma vez por semana, envolvendo quinze alunos. Os livros utilizados no Clube foram adquiridos com verba financiada pelo Erasmus.

Da parte da tarde, guiados pela professora Valérie Lignè, fizemos um roteiro pedestre de duas horas pelo centro de Toulouse ligado à Resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial, visitando diversos monumentos evocativos aos heróis da resistência, a sede da Gestapo e um pequeno museu.

No dia 16, terça-feira, para além da reunião de trabalho em que se reagendaram as datas das mobilidades, vistamos um workshop onde os alunos aprendiam a cozinhar e a servir, tendo-nos os mesmos preparado umas panquecas para provarmos. Um momento muito agradável, equivalente aos que os nossos alunos igualmente e muito bem nos proporcionam.

Definiram-se as atividades a serem desenvolvidas no âmbito deste projeto para os meses seguintes: concurso do logótipo e do slogan para o projeto; escrita criativa; “10 minutos a ler”; atividade “Parar a ler”, evocação do “Dia do Livro” e “The sound of book”. Estipularam-se e realizaram-se os questionários para a avaliação do projeto e para a disseminação do mesmo, acordando-se a criação de artigos e a realização de um workshop.

Da parte da tarde, a equipa de docentes portuguesa realizou uma sessão formativa sobre o funcionamento do eTwinning, plataforma que agrega todo o trabalho desenvolvido em contexto dos projetos Erasmus.  Foram desenhadas e criadas em seguida todas as páginas deste projeto eTwinning.

No dia 17 de novembro, debateu-se o modelo a utilizar para avaliar o projeto. Todos os presentes concordaram em utilizar o mesmo modelo em todos os países. Aprovou-se o modelo proposto pela equipa da Eslováquia, tendo a equipa portuguesa realizado o mesmo de imediato e o disponibilizado a todos os parceiros. O questionário foi dirigido aos alunos de modo a haver feedback sobre a sua experiência. Registou-se a necessidade de se realizar um equivalente para as famílias.

Ainda de manhã, tivemos oportunidade de assistir a uma aula de História, Geografia e Educação Cívica com a colega Dorothee, no final da qual, curiosamente, conhecemos dois alunos dessa turma de origem portuguesa, um de Vizela e outro de Lisboa. Foi um momento muito agradável.

No dia 18 de dezembro, quinta-feira, decidimos realizar um questionário sobre a leitura que avaliasse os alunos envolvidos no início e no final do projeto.

Durante a tarde visitamos um programa específico da escola, denominado “School life and Senior Education Advisors”, em que tivemos ocasião de falar com os alunos responsáveis pelo programa. Alguns são estudantes universitários que lhes compete orientar esses alunos, acompanhando a sua assiduidade, intervalos e na cantina durante o almoço. No caso de faltar um professor, eles avançam para a sala de aula com uma atividade de ocupação. Prestam apoio direto aos alunos com dificuldades educativas e mantêm contactos com as famílias dos mesmos.

No dia 19 de novembro, último dia desta mobilidade, o ponto da ordem de trabalhos foi “Ferramentas digitais cooperativas”. Dinamizada a sessão pela coordenadora Valérie Lignè que nos apresentou os aplicativos “Classroomscreen.com” e “Frampad.org”. A equipa portuguesa, por seu turno, apresentou as ferramentas digitais “Wakelet” e “Emaze”.

Num projeto com o foco na leitura e nas literacias, o encerramento das atividades foi feito com uma atividade na biblioteca escolar dinamizada pela professora documentalista Hélène Loye, envolvendo uma turma, em torno da literacia da informação e dos media.

O almoço de despedida foi realizado numa livraria restaurante, uma experiência única, na qual pudemos conviver num agradável momento com um espaço de restauração vegetariano/vegan rodeado de excelentes livros, onde não faltou também nas estantes a companhia de Fernando Pessoa.

Por fim, registe-se a enorme qualidade das sessões e workshops que tivemos oportunidade de frequentar e que nos foi proporcionada pela extraordinária equipa francesa, a quem muito agradecemos todo o empenho em nos proporcionar experiências formativas e culturais de elevado nível.

Augusto Oliveira