Maratona de leitura

This slideshow requires JavaScript.

A Maratona de Leitura decorreu no dia 7 de março, enquadrada nas atividades das bibliotecas do agrupamento para a semana da leitura (7 a 11 de março) e mobilizou inúmeros alunos e turmas do agrupamento, com a participação de 28 turmas da EBS de Canelas e quatro escolas EB1 E EB1/JI (Ribes, Alquebre, Monte e Lagarteira). Esta iniciativa teve como propósito valorizar o ato de ler, conscientes de que a leitura é uma condição para todo o conhecimento e garante de um exercício de uma cidadania plena. Sabemos que esta literacia é fundamental para os nossos alunos e, por isso, assinalamos durante nove horas uma corrente contínua de leitura.

Associaram-se a esta iniciativa docentes, pais/encarregados de educação, assistentes operacionais e técnicos, psicólogos e uma escola italiana, parceira de um projeto Erasmus da biblioteca escolar sobre leitura e valores.

Esta leitura fez-se em modo presencial na biblioteca da escola sede e a distancia, através do Google Meet, com as escolas do agrupamento que aderiram à atividade, com os pais e encarregados de educação e com a escola italiana.

Embora os leitores tivessem autonomia para a escolha do texto a lerem, a maioria das leituras efetuadas incidiu sobre o livro “O Diário de Anne Frank”, obra que está associada à temática dos dois projetos Erasmus que a biblioteca desenvolve em parcerias com bibliotecas de outras escolas europeias.

A leitura desta obra é sempre surpreendente, pelo génio e sensibilidade desta jovem judia que morreu com 15 anos num campo de concentração, a escassos meses do fim da 2ª guerra mundial. Malogradamente a necessária abordagem da educação para os direitos humanos voltou a ser uma prioridade face aos desenvolvimentos que ocorrem na Ucrânia. E o diário de Anne Frank tornou-se penosamente atual (se alguma vez o deixou de ser)…

Fica a mensagem de esperança para novos tempos mais pacíficos e tolerantes. Que a leitura nos una também numa corrente humanitária.

Mobilidade Erasmus – Projeto da Biblioteca Escolar

This slideshow requires JavaScript.

Teve lugar de 6 a 10 de dezembro uma mobilidade Erasmus enquadrada no projeto da biblioteca escolar intitulado “School libraries promoting readers, values, literacies, skills and inclusion”, que teve como objetivo principal o intercâmbio e a partilha de boas práticas, reunindo quinze alunos e dez professores de Itália, Grécia, Polónia e Portugal.

Ao longo de toda a semana decorreram atividades de caráter educativo e cultural, centradas na leitura, na dinâmica das bibliotecas escolares e na temática do holocausto, tópico que denota a necessidade da educação permanente para os direitos humanos. Logo no primeiro dia, os alunos e professores participaram num evento de receção promovido pela equipa da biblioteca escolar e que contou com a presença do Diretor do Agrupamento, o qual proferiu palavras pertinentes sobre o Erasmus e a sua importância para a educação e na formação pessoal e cívica dos nossos alunos.

Os alunos da equipa Erasmus portuguesa, Íris Ferreira, Sofia Barbosa e Lucas Silva, do 9º A, deram as boas-vindas aos nossos convidados e apresentaram, num inglês perfeito, todos os momentos especiais da referida cerimónia.

Seguidamente, os alunos do Clube de Música da docente Paula Campos e os respetivos discentes do 5º B, em conjunto, cantaram “Welcome” – uma canção de boas-vindas e “Menina Estás à Janela” – canção tradicional portuguesa, popularizada por Vitorino Salomé. Logo de seguida, de modo a lembrar a importância da União Europeia e do programa Erasmus +, o professor Carlos Silva ao trompete, acompanhado pela docente Paula Campos ao piano, tocaram a peça musical “Ode à Alegria” – tema do 4º andamento da 9ª sinfonia de Beethoven (Hino oficial da União Europeia). Foram momentos de especial emoção e que reforçaram os laços de amizade entre os parceiros europeus presentes.

Ainda na referida cerimónia de acolhimento, os alunos do Clube de Línguas da nossa escola, coordenado pela professora Ana Paula Borges, e liderado pelos alunos Alice Baião, Cristina Matos, Cátia Santos, Henrique Astorga e Rui Carvalho, dinamizaram a atividade intitulada “As faces da esperança”. Na sua aprentação/dramatização mostraram duas faces da esperança no mundo por intermédio de dois ilustres portugueses: Aristides de Sousa Mendes e Fernando Pessoa, ambos representados em cena por dois alunos, dramatizando com enorme mestria essas grandes figuras portuguesas.

Ainda no decurso da mesma manhã, os alunos realizaram um “Kahoot”, elaborado em modo colaborativo pelos quatro países do projeto, sobre o livro “O rapaz do pijama às riscas”, que deu nome a esta mobilidade de Portugal, já que cada encontro entre alunos e professores obedece, conforme estipulado no nosso projeto Erasmus, à leitura e preparação de um dos livros selecionados sobre o tema do holocausto (“O Diário de Anne Frank”, “Os meninos que enganavam os nazis” e “O Atelier de sonhos”). Os alunos do Clube de Inglês proporcionaram ainda um “bingo humano”, atividade que se mostrou importante para quebrar o gelo entre os alunos e criar uma boa atmosfera.

Já da parte da tarde, as docentes Rosário Sá e Alice Loureiro ofereceram um workshop de azulejaria portuguesa. Esta atividade teve como intuito apresentar aos alunos e docentes estrangeiros a riqueza do património português, no caso em particular, o azulejo. Todos puderam ilustrar um ou mais azulejos, com a orientação e mestria das docentes portuguesas, seguindo algumas propostas criativas ou dando asas à sua imaginação. Após passagem posterior pela mufla, foram mais tarde entregues aos alunos e docentes os respetivos azulejos por si produzidos, evidenciando enorme contentamento com o produto final produzido.

Na terça-feira, o dia foi passado na cidade do Porto, em visitas a museus. Da parte da manhã, no edifício da Alfândega do Porto, o grupo Erasmus assistiu a dois eventos, nomeadamente, “Fabulous Christmas circus” e “Porto Legends”, neste último tiveram a oportunidade de conhecer, por via de um espetáculo virtual imersivo, a cultura e história da cidade Invicta.

Após uma visita guiada pela Boavista e a sua maior avenida, pese embora o mau tempo que se fez sentir, o grupo teve oportunidade de passar pela faixa litoral junto ao Castelo do Queijo e por toda a Foz, regressando ao local de partida. Já aí, da parte da tarde, os alunos e professores visitaram o Museu das Descobertas, conhecendo com detalhe os descobrimentos e a expansão portuguesa. A visita revelou-se de enorme agrado para todos e teve momentos únicos que ficarão para sempre na memória.

A quarta-feira, dia 8, feriado nacional, foi um dia em que os alunos estrangeiros passaram o dia com as famílias de acolhimento. Cada família definiu livremente o programa para esse dia, com visitas pelo Porto e Gaia, constando-se que a experiência gastronómica da francesinha foi deveras comum.

Na quinta-feira, dia 9, o grupo deslocou-se a Guimarães, acompanhado pela guia profissional Marta Villares que nos proporcionou uma visita detalhada e enriquecedora pelos monumentos e ruas desta cidade património mundial da Unesco. Graças à colaboração da docente Ana Cristina Ribeiro, que nos disponibilizou vestuário utilizado no Canelas Medieval, o grupo foi vestido a rigor da época medieval para as visitas ao Castelo, Igreja e Paço Duque de Bragança, aqui com a participação num workshop de dança muito divertido, requerido pela escola.

Da parte da tarde, visitou-se o Museu Alberto Sampaio e realizamos seguidamente, divididos em quatro grupos, o peddy papper “Guimarães historical center”, atividade de enorme regozijo para os alunos e professores participantes. Esta atividade acrescentou um maior conhecimento sobre a histórica e monumental cidade de Guimarães.

Na sexta-feira, último dia de atividades, o grupo passou o dia na escola, os docentes voltando aos trabalhos inerentes ao projeto, definindo conjuntamente as tarefas e programação das atividades pedagógicas até maio, data da próxima mobilidade em Itália.

O dia abriu para os alunos com um workshop de ilustração dinamizado pela docente Márcia Moreira e que permitiu aos alunos ilustrar um painel dedicado ao livro “O rapaz do pijama às riscas”. Os alunos participaram no fórum de discussão do eTwinning, intitulado “Book versus movie”.

Mais tarde, o grupo teve oportunidade de visitar o bloco C3 e aí assistir à atuação da “Banda (ainda) sem nome”, sempre cativante e que maravilhou os nossos parceiros estrangeiros. Tiveram ainda oportunidade de conhecer em detalhe o projeto “Sim, somos capazes”, através de uma breve apresentação por parte do seu responsável, o professor Luís Baião.

Os docentes tiveram ainda mais uma experiência memorável, desta vez de caráter gastronómico, participando num workshop de culinária, dinamizado pelos docentes Liliana Soares e José Cruz, acompanhados pelos inexcedíveis alunos do curso profissional de Restauração e Bar. Apresentaram a receita do prato “Bacalhau à Brás” ao grupo de docentes e acompanharam-no na confeção do mesmo no decurso do workshop. Este viria a ser, aliás, o prato a ser servido para o almoço do grupo e que foi do agrado de todos. Um momento cultural de enorme descontração, entusiamo e convívio.

O dia ficaria encerrado com as tarefas programadas para a equipa de docentes e com a conclusão do painel de ilustração elaborado pelos alunos, com respetiva afixação no miniauditório da biblioteca escolar.

O dia de sábado, data de partida de todas os parceiros para os respetivos países, mostrou-se muito emotivo, pois ao longo da semana, como facilmente se percebeu, foram criados fortes laços de amizade entre alunos portugueses e estrangeiros e entre as respetivas famílias. Prendas, convites para visitas ao estrangeiro e promessas de amizade para o resto da vida marcaram este dia de despedida e encerramento da mobilidade.

O Erasmus é mais do que uma viagem: é cultura, intercâmbio, aprendizagem e amizade!  Como diz Pessoa, tudo vale a pena quando a alma não é pequena. E neste intercâmbio prezaram-se os valores fundamentais da condição e humana. Podemos dizer que entramos no intercâmbio e saímos dele diferentes e melhores.

Um agradecimento especial a todos os nossos colaboradores – que foram muitos e de modo incondicional – que deram o seu suporte para o êxito desta mobilidade, permitindo que esta tenha sido um momento único, inesquecível e marcante para todos que nela participaram.

Muito obrigado!

Augusto Oliveira

Coordenador do Projeto Erasmus KA229 “School libraries promoting readers, values, literacies, skills and inclusion”

Mobilidade Erasmus em Canelas – Projeto da Biblioteca Escolar

Enquadrado no projeto Erasmus da biblioteca escolar “School libraries promoting readers, values, literacies, skills and inclusion”, decorreu na EBS de Canelas de 6 a 10 de setembro o seu primeiro meeting – Short-term joint staff training events – Erasmus + KA229, integrando 6 professores oriundos da Polónia, Grécia e Itália a que se juntaram quatro docentes portugueses. Este primeiro encontro foi organizado para promover um intercâmbio e partilha de boas práticas entre os representantes destes quatro países. Analisaram-se questões como o papel das bibliotecas na educação e na formação dos jovens e a sua importância na escola para favorecer inúmeras literacias ou ainda as atividades de leitura e as boas práticas de literacia de leitura existentes em cada uma das escolas representadas. Ao longo da semana de trabalho teve ainda lugar um “worshop” sobre a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e a organização das bibliotecas escolares no nosso país, dinamizado pela Coordenadora Interconcelhia das Bibliotecas Escolares de Gaia e Porto, Drª Maria João Castro, que teve oportunidade de apresentar as virtudes desta estrutura do ministério da educação português, lembrando, simultaneamente, as exigências e desafios profissionais que ela coloca aos professores bibliotecários e às bibliotecas escolares. Concluiu-se que o nosso sistema é o mais evoluído de entre os quatro países europeus a esse nível organizacional das bibliotecas, sendo que nos restantes países vigora ainda um sistema equivalente ao de Portugal em 1996, altura em que foi criada a RBE. Apenas na Polónia existem também professores bibliotecários, embora não trabalhando com o suporte que é prestado pela RBE, desconhecendo o sistema de avaliação das bibliotecas que vigora em Portugal.
Este projeto Erasmus tem ainda como propósito a fundação de uma biblioteca na escola grega de Creta e o apoio à transformação do espaço precário existente na biblioteca da escola italiana. Foram ainda definidas as datas para as próximas mobilidades e os livros sobre o Holocausto que serão apresentados aos alunos como propostas de leitura ao longo do período de vigência do projeto. Definiram-se também um conjunto de procedimentos associados à gestão do projeto e à sua implementação.
A parte cultural deste encontro Erasmus recaiu sobre as cidades de Gaia e Porto, destacando-se as visitas ao Solar Condes de Resende, à livraria Lello, Torre dos Clérigos, Palácio da Bolsa e Igreja de S. Francisco, entre outras áreas de interesse cultural das zonas históricas das duas cidades.
Assinale-se a enorme empatia e amizade que coexistiu ao longo da passada semana entre o grupo, o que aliás não podia ser de outra forma entre professores que comungam entre si a paixão pelos livros e pela leitura. Uma semana fantástica de evolução profissional e de conhecimento de outras culturas!

Projeto de leitura “Ler em família”

Após a candidatura da biblioteca do agrupamento ter sido aprovada pelo Plano Nacional de Leitura, com um financiamento de 1000 Euros, para aquisição de livros, teve início o projeto “Ler em família” na EB1/JI de Ribes, na turma do 1º ano.

Pretendemos desde já agradecer à professora Teresa Paiva por ter aceite este desafio, assumindo a sua turma como piloto do projeto, apresentando e dinamizando com as famílias da sua turma este importante projeto que visa despertar e fomentar o prazer pela leitura, desenvolver a imaginação e apoiar a aprendizagem da leitura, entre outros objetivos. Registe-se a extraordinária adesão das famílias à iniciativa, mostrando que compreendem a importância do ato de ler para a formação dos seus educandos, colaborando de uma forma entusiasta. O nosso agradecimento aos pais, irmãos e avós envolvidos.

Para o ano, esperando que sem os constrangimentos provocados pelo confinamento, pretende-se alargar esta experiência a todas as escolas do 1º Ciclo e Pré-Escolar do agrupamento.

“10 minutos a Ler” é já amanhã

Decorreram hoje, na biblioteca escolar, duas sessões de lançamento da iniciativa “10 Minutos a Ler” destinadas aos delegados das turmas do 2º e 3º Ciclo. As sessões foram conduzidas pelos professores Paula Morais e Paulo Paiva que falaram dos livros mais marcantes da sua vida, em particular da adolescência, e do valor e legado da leitura. Pela voz do professor Paulo Paiva, os alunos foram ainda brindados com a audição do conto “A fábrica das palavras”, de Agnès De Lestrade.

Nestas sessões, os alunos receberam o livro atribuído à sua turma, por forma a iniciar-se amanhã, pelas 8:15 horas, em todas as turmas do 5º ao 9º ano, a leitura durante 10 minutos da obra que lhes foi disponibilizada. É um enorme desafio, já que a leitura lúdica sairá da esfera do Português (diariamente haverá “10 minutos a ler em diferentes disciplinas), mas é certo que o proveitoso retorno será de todas as disciplinas. Ler é um direito humano, plataforma de inclusão, na medida em que é condição para o conhecimento, determinando a vivência plena ou condicionada do indivíduo.

“10 Minutos a Ler” é uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura (PNL), à qual a nossa escola aderiu e viu aprovada a sua candidatura, merecendo um apoio financeiro significativo para aquisição de livros (1000 Euros). Esta ação do PNL integra um conjunto de 70 escolas que vão instituir no seu quotidiano a atividade diária da leitura durante 10 minutos, na convicção de que a leitura é condição para todo o conhecimento.

Um especial agradecimento aos docentes Paula Morais e Paula Paiva, bem como à equipa da BE e a todos aqueles que acreditam na importância da leitura.