Projeto Erasmus+ da biblioteca escolar: mobilidade a Creta

No âmbito do projeto Erasmus + “School libraries promoting readers, values, literacies, skills and inclusion” decorreu de 24 a 28 de outubro uma mobilidade a uma escola parceira de Creta, em Agios Nikolaos. Nesta mobilidade participaram dezasseis alunos de diferentes países: Portugal (5 alunos do 3º Ciclo), Polónia e Itália, a que se juntaram vários alunos da escola grega e que prestaram um apoio extraordinário a todos os alunos e muito contribuíram para um clima de grande amizade.

Importa referir que toda a mobilidade foi organizada com grande rigor e dedicação por parte da equipa Erasmus grega, a que se juntou toda uma permanente manifestação de uma sincera alegria e amizade em receber os seus convidados.

No primeiro dia, após a receção feita pela diretora da escola e coordenadora da escola, Marina Toutoudaki, e pelo Mayor de Agios NiKolaus, tivemos oportunidade de assistir a uma apresentação de música e dança tradicional de Creta no auditório.

Em seguida, dinamizaram-se atividades de conhecimento mútuo com o envolvimento de todos os alunos. Após a mesma, foi visionado um emotivo vídeo sobre o Holocausto e aplicado um quiz.

Tivemos ainda oportunidade de realizar uma visita guiada pelos alunos através da cidade Agios NiKolaus.

Ainda no decurso desta semana de intercâmbio e partilha de boas práticas, visitamos Elounda e a impressionante ilha de Spinalonga, considerada a “Auschwitz” de Creta, onde até 1957 eram abandonadas as pessoas com lepra; visitamos Knossos, cidade da antiga Creta, capital do lendário rei Minos, e o principal centro da Minoica, a mais antiga das civilizações do Egeu; a cidade de Heraklion e o museu de História e Folclore em Neapolis.

Nos últimos dias, decorreram os trabalhos de apresentação relacionados com o livro “A bag of marbles”, diversos e interessantíssimos workshops sobre esse livro e a cerimónia de entrega de certificados para os alunos e professores participantes nesta mobilidade.

Na sexta-feira, dia 28, feriado nacional, por ser a comemoração do dia de independência da Grécia, tivemos oportunidade de assistir aos desfiles eu se realizaram na cidade.

Por fim, no sábado foi o dia da despedida e da emoção, visível em alunos, pais e professores, que demonstraram dessa forma toda a extraordinária e inesquecível semana vivida em Agios Nikolaus.

 

Mobilidade Erasmus em Toulouse

This slideshow requires JavaScript.

Foram apresentadas pela coordenadora Valérie Lignè as atividades iniciadas no ano anterior com o seu Clube de Leitura, que se realiza uma vez por semana, envolvendo quinze alunos. Os livros utilizados no Clube foram adquiridos com verba financiada pelo Erasmus.

Da parte da tarde, guiados pela professora Valérie Lignè, fizemos um roteiro pedestre de duas horas pelo centro de Toulouse ligado à Resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial, visitando diversos monumentos evocativos aos heróis da resistência, a sede da Gestapo e um pequeno museu.

No dia 16, terça-feira, para além da reunião de trabalho em que se reagendaram as datas das mobilidades, vistamos um workshop onde os alunos aprendiam a cozinhar e a servir, tendo-nos os mesmos preparado umas panquecas para provarmos. Um momento muito agradável, equivalente aos que os nossos alunos igualmente e muito bem nos proporcionam.

Definiram-se as atividades a serem desenvolvidas no âmbito deste projeto para os meses seguintes: concurso do logótipo e do slogan para o projeto; escrita criativa; “10 minutos a ler”; atividade “Parar a ler”, evocação do “Dia do Livro” e “The sound of book”. Estipularam-se e realizaram-se os questionários para a avaliação do projeto e para a disseminação do mesmo, acordando-se a criação de artigos e a realização de um workshop.

Da parte da tarde, a equipa de docentes portuguesa realizou uma sessão formativa sobre o funcionamento do eTwinning, plataforma que agrega todo o trabalho desenvolvido em contexto dos projetos Erasmus.  Foram desenhadas e criadas em seguida todas as páginas deste projeto eTwinning.

No dia 17 de novembro, debateu-se o modelo a utilizar para avaliar o projeto. Todos os presentes concordaram em utilizar o mesmo modelo em todos os países. Aprovou-se o modelo proposto pela equipa da Eslováquia, tendo a equipa portuguesa realizado o mesmo de imediato e o disponibilizado a todos os parceiros. O questionário foi dirigido aos alunos de modo a haver feedback sobre a sua experiência. Registou-se a necessidade de se realizar um equivalente para as famílias.

Ainda de manhã, tivemos oportunidade de assistir a uma aula de História, Geografia e Educação Cívica com a colega Dorothee, no final da qual, curiosamente, conhecemos dois alunos dessa turma de origem portuguesa, um de Vizela e outro de Lisboa. Foi um momento muito agradável.

No dia 18 de dezembro, quinta-feira, decidimos realizar um questionário sobre a leitura que avaliasse os alunos envolvidos no início e no final do projeto.

Durante a tarde visitamos um programa específico da escola, denominado “School life and Senior Education Advisors”, em que tivemos ocasião de falar com os alunos responsáveis pelo programa. Alguns são estudantes universitários que lhes compete orientar esses alunos, acompanhando a sua assiduidade, intervalos e na cantina durante o almoço. No caso de faltar um professor, eles avançam para a sala de aula com uma atividade de ocupação. Prestam apoio direto aos alunos com dificuldades educativas e mantêm contactos com as famílias dos mesmos.

No dia 19 de novembro, último dia desta mobilidade, o ponto da ordem de trabalhos foi “Ferramentas digitais cooperativas”. Dinamizada a sessão pela coordenadora Valérie Lignè que nos apresentou os aplicativos “Classroomscreen.com” e “Frampad.org”. A equipa portuguesa, por seu turno, apresentou as ferramentas digitais “Wakelet” e “Emaze”.

Num projeto com o foco na leitura e nas literacias, o encerramento das atividades foi feito com uma atividade na biblioteca escolar dinamizada pela professora documentalista Hélène Loye, envolvendo uma turma, em torno da literacia da informação e dos media.

O almoço de despedida foi realizado numa livraria restaurante, uma experiência única, na qual pudemos conviver num agradável momento com um espaço de restauração vegetariano/vegan rodeado de excelentes livros, onde não faltou também nas estantes a companhia de Fernando Pessoa.

Por fim, registe-se a enorme qualidade das sessões e workshops que tivemos oportunidade de frequentar e que nos foi proporcionada pela extraordinária equipa francesa, a quem muito agradecemos todo o empenho em nos proporcionar experiências formativas e culturais de elevado nível.

Augusto Oliveira