CONCURSO “AO ENCONTRO DA POESIA”

O concurso “Ao Encontro da Poesia” visa fomentar a criatividade, o prazer da escrita e (re)descobrir da poesia que há em todos nós.

Regulamento

  1. Podem concorrer todos os Alunos, Assistentes Operacionais e Técnicos, Docentes e Encarregados de Educação.

(NOTAS – serão excluídos todos os poemas com palavras consideradas impróprias de um concurso escolar; é da responsabilidade da equipa da Biblioteca a correção ortográfica dos poemas.)

  1. Os trabalhos têm de ser originais, isto é, de autoria própria e nunca anteriormente editados ou publicados.
  2. Os trabalhos da categoria Alunos serão divididos em três escalões:
  • ESCALÃO 1: alunos do 2º ciclo
  • ESCALÃO 2: alunos do 3º ciclo
  • ESCALÃO 3: alunos do Secundário
  1. Cada participante só pode concorrer, individualmente, a uma categoria/ escalão.
  2. O tema é O MUNDO EM QUE VIVEMOS ou ABRAÇAR O PLANETA TERRA.
  3. O trabalho poético tem como limite máximo uma página A4.
  4. O texto deve ser processado em computador (Calibri11; espaçamento 1,5; margens de 2 cm) em folha A4.
  5. Os trabalhos serão assinados apenas por um pseudónimo, com indicação da categoria/escalão: Aluno (2º, 3º Ciclo ou Secundário); Assistentes Operacionais e Técnicos, Docentes e Encarregados de Educação.
  6. A acompanhar o trabalho, o autor tem de entregar também um envelope fechado contendo, no seu interior, a identificação do pseudónimo (Nome completo, categoria/escalão, ano e turma no caso dos alunos).
  7. No exterior do envelope só poderá estar escrito o pseudónimo.
  8. Os trabalhos dos Alunos serão entregues aos Docentes de Português.
  9. Os trabalhos das restantes categorias serão entregues na
  10. O prazo limite para a entrega dos trabalhos é o dia 16 de dezembro de 2022.
  11. O Júri será constituído pela equipa da Biblioteca a quem compete a definição dos critérios de avaliação dos trabalhos poéticos propostos, sendo naturalmente valorizado o nível de criatividade e qualidade apresentada.
  12. Serão premiados os melhores trabalhos classificados em cada categoria/escalão do concurso.
  13. Caso o júri considere que os trabalhos não apresentam a qualidade expectável, atribuirá apenas uma menção honrosa.
  14. Os melhores trabalhos apresentados em cada categoria/escalão serão divulgados no Dia do Agrupamento.
  15. Os participantes no concurso autorizam que os seus trabalhos sejam expostos, publicados e editados em qualquer suporte.
  16. Os melhores trabalhos apresentados em cada categoria/ escalão serão enviados para o Concurso de Poesia Interescolas de Vila Nova de Gaia.
  17. Para qualquer esclarecimento adicional, contactar as docentes Clara Faria, Georgina Tavares e Ilda Ferreira.

Letícia Abelleira com excelente participação no CNL

A aluna Letícia Abelleira (LAG_D 4ºano) representou o nosso agrupamento de escolas na fase nacional do Concurso Nacional de Leitura, no sábado passado (04/06/2022), em Lisboa.
Apesar da sua excelente prestação em todas as fases deste concurso não foi uma das vencedoras na final. Contudo, teve a oportunidade de participar no evento e de ser felicitada pelo nosso presidente da república, pelos representantes do PNL, da RBE e da DGLAB.
O evento teve a cobertura da RTP e foi um dia de comemoração da leitura e do trabalho realizado pelas bibliotecas escolares.
Para nós foi um orgulho acompanhá-la neste processo ao longo do presente ano letivo.
Um bem haja à Letícia pelo seu meritório desempenho, pelo gosto da leitura, pela sua expressividade e empenho ao longo de todas as fases do concurso nacional de leitura.

Oficina de criação de “Olhapins e Olharapos”

No dia 9 de junho, 5ªfeira, das 12h15m às 14h, realizar-se-á na Biblioteca da Escola, a oficina de criação de “Olhapins e Olharapos”, sob a orientação da professora Rosário Sá, direcionada a alunos do 2º e 3ºciclo.

Nesta oficina, os alunos terão contacto com os fundamentos básicos de criação em esponja e as técnicas primárias de modelação pelo corte, dobragem e colagem, a partir das quais será possível criar diversos volumes tridimensionais. Através da construção dos volumes, que serão depois assemblados, criar-se-ão Olhapins ou Olharapos – personagens maravilhosas ou monstruosas do imaginário do seu criador.
Partindo de lendas e contos da tradição portuguesa de criaturas dos bosques, aimaginação de cada um, será o único limite imposto à criação da personagem em esponja.

Aparece e surpreende-te!

Concurso de poesia Interescolas de Gaia /2022 – excelente participação do AEC

A nossa escola voltou a participar no concurso de poesia interescolas com poemas elaborados por alunos de ciclos e anos escolares distintos, demonstrando que a poesia continua viva e que os nossos alunos a abraçam com especial prazer. Nos resultados da 2ª fase desta edição do concurso, a aluna Filipa Machado, do 11º A, obteve o 1º prémio na categoria I – 11º ano – com o poema “O pequeno e o grande”, apresentado como um “Tributo a Anne Frank” e resultante do trabalho desenvolvido pela turma com a docente de Português.

Por seu turno, o aluno Tiago Almeida, da turma do 2º ano da EB1/JI de Ribes, obteve uma menção honrosa com o seu poema “A água”.

Expressamos um agradecimento especial aos alunos pela participação e aos respetivos docentes pelo suporte dado, deixando aqui uma palavra de apreço a todos os outros discentes participantes.

 

O pequeno e o grande

 

Tributo a Anne Frank

Havia um passarito

de asas ingénuas.

Havia um passarão

cuja raiva dilatava.

Refém da sua fúria,

o passarão ao passarito as asas colhe.

E à pergunta do pequeno: «Qual o motivo?»,

o grande responde: «Ameaça és.»

Agora, sem asas,

o passarito já não pode voar.

Ele ficará!

O que pode um passarito

prestar contra um passarão?

Sofram os inocentes!

– Ai se o gigante enxergasse

que a invencibilidade não vem

da conquista dos outros,

mas da descoberta de si mesmo!

Desejou o pequeno

nos últimos desesperados momentos de vida!

Filipa Machado – 11º ano (1º prémio)

 

A água

 

A água é limpa e fresca,

E mata-nos a sede,

Faz bem à saúde de todos os seres.

Água que vens da Natureza,

o teu desperdício é uma tristeza.

Água que corres nos rios,

Mares, lagos e torneiras,

Muita falta fazes com toda a certeza!

 

Tiago Almeida – 2º ano (menção honrosa)