Arquivo mensal: Dezembro 2018

VISITA À EXPOSIÇÃO “MONASTERIUM KM 234“

 No dia 6 de dezembro, pelas 9 horas da manhã, a nossa turma, o 6ºF saiu da escola para uma visita de estudo ao Mosteiro de Leça do Balio.

 O sol acompanhou-nos durante toda a viagem. Quando lá chegamos apercebemo-nos que o edifício era muito antigo e muito bonito.

 O objetivo desta visita era conhecermos este local como um espaço de acolhimento dos peregrinos do Caminho de Santiago. Vimos os símbolos que estes usavam, a concha e o cajado. Estes serviam para beber água e afugentar os animais menos amigáveis.

 Dentro do edifício, vimos várias salas com motivos da exposição, que nos permitiu conhecer melhor a história daquela época. Cá fora, um claustro e um jardim compunham este quadro.

 Hoje em dia, este edifício pertence ao Centro Empresarial da Leonesa que o comprou com o intuito de tornar aquela zona aberta ao público com um cariz cultural forte.

6ºF

CICLO DE CINEMA – O Cinema Chama Por Ti!

Os projetos “O cinema chama por ti!” e “Na Senda dos contos” deram as mãos no dia 12 de dezembro, pelas 14h30, na Biblioteca Escolar. Desta vez, os nossos convidados foram os alunos do 4º ano, da Eb.1 de Ribes, acompanhados pela professora Teresa Paiva.  As crianças ouviram atentamente a biografia do autor José Saramago, apresentada por uma aluna do 10ºC, e, seguidamente, escutaram a leitura da história “A maior flor do Mundo”, por alguns alunos do 9ºG. As personagens, as cores, o cenário, os movimentos… enfim, as imagens criadas a partir da audição da história puderam ser confirmadas com o visionamento da curta-metragem de Juan Pablo Etcheverry. No fim, reiteramos o desafio de José Saramago: recontar a história doutra maneira, “com palavras mais simples” …e “talvez mais tarde venham a saber escrever histórias para as crianças…”.

Os meninos responderam desta forma ao desafio e …

 

A borboleta gigante

Era uma vez uma menina que vivia num prado onde existiam milhares de insetos. Nesse prado, longe, mas mesmo muito longe, existia o mundo das borboletas. Nesse mundo viviam milhares de borboletas.

A menina, um dia, foi ao mundo das borboletas e encontrou uma borboleta que estava caída no chão. Essa borboleta era linda, tão colorida, e estava deitada por baixo de uma flor. Ela precisava de sol e de água. A menina pôs a borboleta ao sol e foi buscar água ao poço que tinha lá perto. A borboleta ficou gigante e linda. A borboleta quis agradecer à menina e juntas voaram no céu azul.

 A borboleta ficou famosa por ser gigante e a mais bonita do mundo.

 Beatriz Santos

 

A flor e o menino

Era uma vez um menino, que estava a perseguir uma cigarra e quando deu por ela estava numa zona desconhecida. Nessa zona encontrou uma flor que estava muito murcha.

Ao vê-la assim, sentiu imensa pena e tentou arranjar uma solução. Lembrou-se que pelo caminho tinha passado por um rio e decidiu ir buscar água para regar a flor.

Como não tinha onde transportar a água, usou as mãos para o fazer, foi vinte vezes para lá e para cá, porque ao longo do caminho foi perdendo algumas gotas de água. À medida que ia regando a flor, ela ia crescendo cada vez mais. Quando o menino deu por ela, a flor já estava maior do que ele e do que qualquer pessoa.

De tanto andar de um lado para o outro, o menino ficou muito cansado, acabando por adormecer. Como as pétalas da flor eram grandes, a flor deixou cair uma delas para cobrir o menino.

Entretanto os pais deram pela falta do menino e foram à procura dele na zona desconhecida, quando o encontraram deram um grande abraço e voltaram para casa.

A caminho de casa, o menino cruzou-se com a cigarra e despediu-se dela.

Beatriz M.

 

A maior árvore do mundo

Não sei escrever histórias para crianças porque tenho que usar palavras simples. Mas quero contar uma história de uma menina e uma árvore… Pronto aqui vai:

Era uma vez uma menina que saltou o planeta Marte (a parte proibida). Ela viajou quilómetros até que encontrou uma árvore muito pequena e murcha. Ela percorreu quilómetros e quilómetros. Quando chegava, apenas três gotinhas lhe dava, correu e correu até mais não, foram 20 as vezes que percorreu a menina para tentar salvar uma simples e pequena árvore, que com voltas e voltas se tornou numa grande, grande árvore… A menina com sono, muito sono adormeceu debaixo da árvore. A árvore, simpática e agradecida, tapou com uma das suas grandes folhas e, como sempre nestas situações acontece, os nossos pais se preocupam, à procura foram os pais, familiares e amigos que com aflição andaram à procura. Encontraram a menina a dormir debaixo da árvore. Chegaram à aldeia com a menina, aos seus ombros todos felizes. Agora a árvore que não era vista nem conhecida por ninguém é grande e alta; já toda a gente a vê.

Era isto. Esta história que eu queria contar, talvez depois a escrevas tu, com mais imaginação, talvez ainda veja. Só não me deixes morrer como o José Saramago.

Sofia

ilustração da Beatriz S.

Ilustração da Sofia

 

O maior trevo do mundo

A maior flor do MUNDO

     

Atividade “Storytelling”

Por iniciativa do grupo de Inglês do 2º Ciclo, teve lugar na passada quinta feira, na biblioteca escolar, uma atividade de storytellling, dinamizada pela luso-canadiana Anabel Reis Alves.

A atividade teve por base o clássico da literatura infantil “Green Eggs and Ham”, do autor Dr. Seus. Sam-I-am, que é o protagonista desta história e que tenta convencer Joey a experimentar ovos e presunto verdes. Para isso, usa a frase: “Do you like green eggs and ham?”.

A atividade foi muito interativa e do interesse dos alunos que se deixaram conduzir pela contadora da história, participando ativamente nas atividades que lhes foram propostas.

 

«A visita do Sr. Engenheiro»

No âmbito do projeto «Na senda dos contos», no dia 6 de dezembro de 2018, a escola sede do Agrupamento de Canelas recebeu a visita do ator António Domingos que realizou um monólogo intitulado «A visita do Sr. Engenheiro».

Esta sessão, projetada especialmente para os alunos do 12º ano, teve como matéria prima alguns dos mais belos poemas de Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa. A interpretação do ator, as pontes que construiu entre o seu próprio discurso e os poemas selecionados e a sua criatividade e dicção contribuíram para que o público jovem da nossa escola se mantivesse em silêncio absoluto.

O espetáculo decorreu de forma natural e intimista e à medida que António Domingos declamava poemas como  «Aniversário», «Lisbon revisited» e «Tabacaria», os alunos iam partilhando com o ator, por breves momentos, Fernando Pessoa, viagens reflexivas sobre a “vida”, a “morte”, a “metafísica”, a “inutilidade dos versos” e das “tabuletas”, sobre a loucura, a desesperança e os sonhos, enfim,  sobre os dramas existenciais do ser humano.

Finda esta viagem ao mundo de Álvaro de Campos e surpreendidos pelas capacidades mnemónicas do ator, sobretudo porque os poemas escolhidos eram extensos, os alunos aplaudiram, agradecendo a António Domingos aquele momento de poesia e de beleza (afinal a vida e a escola nem sempre é feita de algarismos nem de equações!).

 

Bárbara Campos ,12º A

 

Exposição “70 anos de Declaração Universal de Direitos Humanos”

Nunca é demais comemorar os Direitos Humanos (nunca, nada é garantido)! Sobretudo quando a Declaração faz 70 anos e quando a Humanidade parece ignorá-la…

Assim, os alunos de EMRC, de HGP, de Filosofia e de Psicologia B preencheram as vidraças do átrio da Escola com cartazes alusivos aos Direitos Humanos. O painel comemorativo esteve a cargo de turma de Artes, o 10.º E.

Parabéns, Direitos Humanos! Uma longa vida em nome da dignidade humana!

Este slideshow necessita de JavaScript.