PORQUE A TUA OPINIÃO CONTA  

Texto expositivo-argumentativo a propósito da (in)compatibilidade entre a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento económico.

   Ultimamente, temos vindo a assistir a uma desagregação climática e às consequentes manifestações que têm o objetivo de chamar a atenção das forças governamentais para impedir que esta crise continue a crescer.

   Na verdade, a população mundial tem vindo a aumentar e isso exige que a produção acelere também e que haja espaço disponível para a nova população habitar. Logo, os graus de poluição e de desagregação quer de ecossistemas quer dos espaços verdes aumentarão. Paralelamente, existem outros fatores que contribuem para intensificar estas consequências, nomeadamente, os transportes aéreos, que emitem muita radiação, o consumismo excessivo, o desperdício de comida e de bens, entre outros.

   Face ao exposto, o planeta Terra não aguentará estes níveis de poluição abundantes, acumulará gases de efeito de estufa que resultarão na destruição da camada de ozono e, assim, a temperatura irá aumentar, pois a camada protetora da Terra não será capaz de reter os raios ultravioleta do sol, ou seja, o termómetro já traduz um sinal de alerta elevado.

   No entanto, infelizmente, está nas raízes do ser humano, o egoísmo, a ambição e a ganância que nos torna (a todos) cegos aos avisos que tanto o planeta como os animais têm vindo a dar. Será possível que os poderosos deixem os seus hábitos e comecem a mostrar preocupação com o ambiente em que vivem? Com o ar poluído e sujo que respiram? E também com as paisagens que estão a ruir? Sim, é possível, mas a este ritmo será tarde demais.

   No fim, quando tudo estiver destruído, quando a última gota de água secar, quando a última molécula de oxigénio for respirada, e quando a ínfima migalha for consumida, o Homem aperceber-se-á de que o dinheiro não é assim tão poderoso como julga.